JS NewsPlus - шаблон joomla Продвижение
ptenites

atra2

comer2

compras

hosp

Oficinas de Música movimentam Escola Tia Olívia

20/09/2006

Desde a primeira edição, em 2000, o Canto da Primavera cumpre a função de formação artística por meio das oficinas, que, nesta edição, foram iniciadas na última terça-feira, dia 19. Cerca de 130 alunos participam das oficinas, alguns dos quais contando com espaços para alojamento, no próprio local em que as mesmas são realizadas, na Escola Municipal Tia Olívia, das 14 às 18 horas, com exceção da Oficina de Percussão, que, por motivo de melhor adequação, passou a ser ministrada das 9 às 13 horas.
A equipe de produção das oficinas tem como coordenador Cláudio Melo, auxiliado por Môni-K e Wilmar Júnior. Em total de seis, são ministradas as oficinas de Bateria (com Cláudio Infante), Contrabaixo (Bororó), Percussão (Gustavo Di Dalva), Piano e Teclado (Gilson Peranzzetta), Sax e Flauta (Mauro Senise), Violão e Guitarra (Nelson Faria) e, novidade nesta sétima edição do evento, a Oficina de Voz, com a fonoaudiologista Fabiana Gobo. Esta oficina foi inserida pela Agepel em atendimento a reiteradas solicitações de pessoas interessadas, considerando-se a importância da voz na carreira de todo cantor. Neste ano, as oficinas mais concorridas, em número de alunos, são as de Guitarra e Violão, Bateria e Percussão.


Oficina de Bateria
A Oficina de Bateria, ministrada por Cláudio Infante, aborda as ferramentas necessárias para o mercado de trabalho, a realização pessoal e profissional, os ritmos brasileiros, latino-americanos, da América Central e da América do Norte (jazz, rock e funck), além dos compassos alternados compostos e a polirritmia.

Cláudio Infante
Nascido no Rio de Janeiro, Cláudio Infante começou a tocar bateria e percussão aos sete anos de idade. Aos dez foi convidado para ingressar em um conjunto de música popular brasileira em turnê pelos Estados Unidos e pela América do Sul, ao lado de Cláudio Nucci e Zé Renato. Iniciou estudos de teoria no Instituto Villa-Lobos e, mais tarde, teve aulas particulares com Bob Wyatt. Já atuou ao lado de Léo Gandelman, Ivan Lins, Djavan, Lulu Santos, Ed Motta, Marisa Monte, B.B.King e Billy Cobham, entre outros.
Cláudio foi contratado, em 1985, pela gravadora Warner, para integrar o grupo Kid Abelha, ficando até 1988, o que lhe rendeu três discos de ouro. Nos últimos anos realizou turnê mundial com os cantores Ney Matogrosso, Marisa Monte e Simone, fazendo uma média de 300 apresentações. Citado pela revista americana Zildjian Time de 2002 entre os 100 bateristas de maior destaque do mundo, está envolvido na divulgação de seu segundo CD, Tempo, e do anterior, Infante, além de excursionar pelo Brasil e exterior.


Oficina de Contrabaixo
A Oficina de Contrabaixo, com Bororó, é voltada para a função do contrabaixo na música brasileira, oferecendo também uma visão da prática de conjunto com este instrumento musical. A oficina é livre para pessoas maiores de 18 anos. São oferecidas 20 vagas.

Bororó
Considerado um dos mais competentes e talentosos instrumentistas brasileiros, Bororó é extremamente versátil. Toca contrabaixo elétrico, contrabaixo acústico, violão, viola caipira e guitarra midi. A partir de seu trabalho de estréia, Fogaréu, firmou-se no cenário nacional também como compositor e arranjador. Artistas como Beth Carvalho e Batacotô já gravaram CD de músicas inéditas de Bororó.
Como contrabaixista, Bororó se destaca pela personalidade e estilo inconfundíveis. Ao longo de sua carreira, vem se apresentando em shows e fazendo gravações junto aos mais renomados artistas da MPB, nos mais diversos ritmos e estilos que a compõem. Tem atuado ao lado de gente como Edu Lobo, Gal Costa, Leny Andrade, Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Martinho da Vila, Zeca Pagodinho e Gal Costa, entre outros.

Oficina de Percussão
O cronograma das aulas da Oficina de Percussão, com Gustavo Di Dalva, engloba uma apresentação geral dos alunos, com o objetivo de integrar a turma, seguindo-se uma aula sobre o Comportamento Diante do Instrumento, onde os alunos conhecem de perto os instrumentos utilizados, tais como conga, timbal, berimbau, efeitos, pandeiro e sabá. As demais aulas abrangem aprimoramento das técnicas, exercícios e ritmo com o pandeiro, timbal e caxixi.

Gustavo Di Dalva
Baiano da cidade de Salvador, começou a tocar percussão aos sete anos de idade, juntamente com o seu mestre e pai Tony Mola, mas foi apadrinhado também por grandes nomes da percussão baiana, como Carlinhos Brown, Vovô e Ivan Huol. As 11 anos já participava ativamente do carnaval baiano, tocando em trios elétricos com artistas como Luiz Caldas, Jerônimo e outros. Estreou profissionalmente como fundador do grupo Vai Quem Vem, com o qual gravou o disco vencedor do Grammy do cantor Sérgio Mendes. Fundou também a Timbalada e o Bragatá, depois viajou pelo País com a hoje extinta Banda Reflexu´s.
Aos 15 anos, Gustavo Di Dalva fez sua estréia ao lado de Caetano Veloso e Gilberto Gil, no show Tropicália 2, o que lhe abriu as portas para tocar e gravar com outros grandes nomes da MPB, entre eles Milton Nascimento, Gal Costa, Maria Betânia, Djavan, Marisa Monte, Chico Science, Jorge Benjor, Dominguinhos, Carlinhos Brown, Lucas Santana, Daniela Mercury e Ivete Sangalo. Há quase dez anos é integrante da banda de Gilberto Gil, participando de todos os projetos de CDs e DVDs do cantor. Participou também de vários festivais internacionais. Além de instrumentista, canta, compõe e ministra workshops de percussão por todo o Brasil.

Oficina de Piano e Teclado
Ministrada por Gilson Peranzzetta, esta oficina é ministrada de forma bastante “emocional”, em sintonia com a oficina de Mauro Senise (sax e flauta). Os dois professores repassam suas vivências como músicos e suas experiências individuais durante 40 anos de carreira instrumental. Eles costumam “visitar” um a sala do outro durante as oficinas, para demonstrar como funciona o duo e a dinâmica entre eles.
As oficinas abordam questões musicais específicas do piano, da flauta e do sax. São comentadas as variedades de gêneros que Peranzzetta e Senise utilizam em seus trabalhos solo e no duo, que mantêm há 19 anos. Os professores apresentam exemplos de choro, bossa nova, jazz e outros ritmos. Também mostram como interpretar uma partitura sem ficar preso somente à leitura das notas musicais.

Gilson Peranzzetta
Pianista, compositor, arranjador e maestro, Gilson Peranzzetta é um estilista da música e foi citado pelo maestro e produtor Quincy Jones como um dos maiores arranjadores do planeta. Recebeu diversos prêmios ao longo de sua carreira, entre eles três Prêmios Sharp de Música, como melhor arranjador, melhor compositor e melhor intérprete. Nos últimos 20 anos, lançou 36 CDs solo, além de participar, como pianista e arranjador, de centenas de CDs de outros artistas. Também compõe trilhas sonoras para filmes e seriados de televisão — a música Setembro, em parceria com Ivan Lins, foi incluída na trilha sonora da premiada série norte-americana Dallas e no filme Boys´n the Hood.
Peranzzetta á autor de 150 músicas, muitas delas gravadas por artistas nacionais como Djavan, Ivan Lins, Leila Pinheiro, Dori Caymmi, Nana Caymmi e por artistas internacionais como George Benson, Sara Vaugh, Quincy Jones, Dianne Schurr e Shirley Horn. Atualmente, apresenta-se no Japão, Estados Unidos e Espanha. A cada dois anos, grava com a WDR Big Band, de Colônia (Alemanha), e com ela excursiona pela Europa, como maestro, arranjador e intérprete. Em janeiro de 2006, foi convidado pelo compositor Billy Blanco para orquestrar e reger a Sinfônica do Rio de Janeiro. Ainda no primeiro semestre deste ano, lançou dois novos CDs: Valsas e Canções e Bandeira do Divino.

Oficina de Sax e Flauta
Esta oficina é ministrada de forma paralela com a de Gilson Peranzzetta (piano e teclado). A idéia é repassar as vivências como músicos dos dois professores e suas experiências individuais durante 40 anos de carreira instrumental. Também é realizada uma integração de alunos e professores, “visitando” as salas um do outro, para demonstrar como funciona o duo e a dinâmica entre eles. Além das questões musicais específicas do piano, da flauta e do sax, são discutidas a variedade de gêneros nos trabalhos solo e no duo, bem como a interpretação de partitura. Exemplos por meio de choro, bossa nova, jazz, entre outros ritmos, são apresentados aos alunos.

Mauro Senise
Natural do Rio de Janeiro e neto do pensador Alceu Amoroso Lima, Mauro Senise iniciou carreia musical nos anos 70. Estudou flauta clássica com Odette Ernest Dias e sax com Paulo Moura. Por vários anos tocou e gravou com grandes artistas, como Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, Wagner Tiso e Luís Eça. Ganhou diversos prêmios, entre eles o troféu Playboy e o prêmio Brahma Extra de Revelação Instrumental, pelo conjunto de sua obra. Apresentou-se na Europa, com Egberto Gismonti, e na Espanha, França, Bélgica, Estados Unidos, Equador, Ilha de Malta, integrando o grupo Cama de Gato, com o qual lançou seis CDs.
Em 1988, Mauro gravou seu primeiro disco solo, que leva seu nome como título. No ano seguinte, veio o segundo disco, Jade. Em parceria com o compositor, pianista e arranjador Gilson Peranzzetta, lançou mais dois CDs: Uma Parte de Nós e Vera Cruz. Em 1995, gravou em Nova Iorque, em duo com o violonista e guitarrista Romero Lubambo, um álbum com standards da MPB. Em agosto de 1998, foi convidado para o Kuhmo Chamber Music Festival, na Finlândia, sendo solista de peças de Radamés Gnatalli e Villa-Lobos. Em maio de 1999, lançou seu sétimo CD solo, Virtuoso. Dançando nas Nuvens foi o disco seguinte, em 2001, e no mesmo ano o Mauro Senise Quarteto participou, como convidado, do 2º Chivas Jazz Festival, no Rio e em São Paulo, quando foi apontado pela crítica como um dos melhores destaques do evento.
Em 2002, Mauro Senise lançou mais um CD solo, Vênus, depois se apresentou no Lincoln Center, em Nova Iorque, no espetáculo The Music by Pixinguinha, dirigido pelo violonista Romero Lubambo e contando com participação de Paula Robinson, uma das principais flautistas clássicas americanas. Em 2004, Senise lançou o CD Frente e Frente, em 2005 veio Tempo Caboclo, seguido por Extra de Vários, disco gravado com Gilson Peranzzetta e David Chew, reunindo peças de Bach, Beethoven, Villa-Lobos, Debussy, Brahms, Chopin e Scriabin, entre outros. Em 2006, lançou o CD Casa Forte – Mauro Senise toca Edu Lobo, contando com participação especial do próprio Edu, em Canção do Amanhecer.

Oficina de Voz
Como complemento às demais oficinas do VII Canto da Primavera, a Oficina de Voz, inserida neste ano em atendimento a diversas solicitações junto à Agepel, está programada para este sábado, dia 23, e será ministrada pela fonoaudióloga Fabiana Gobo. A oficina é voltada para a manutenção do equilíbrio da saúde vocal dos cantores, buscando trabalhar com a voz cantada dos profissionais para utilizá-la da melhor forma possível, prevenindo futuros problemas. São abordados a voz, respiração, postura, relaxamento e articulação correta, entre outros aspectos relacionados na área fonoaudiológica. Mostra, ainda, como realizar aquecimento e desaquecimento básico para o uso do dia-a-dia em palco, promovendo maior resistência vocal.

Fabiana Gobo
É fonoaudióloga renomada no Estado de Goiás, por fornecer um atendimento diferenciado, voltado ao público artístico (cantores, atores, jornalistas e profissionais da voz), que ainda não tinha a atenção da Fonoaudiologia. Fez pós-graduação no Centro de Estudos da Voz, em São Paulo, e já trabalhou como produtora vocal em várias peças de teatro, como Escola de Mulheres, com o diretor Samuel Baldani, e O Quarto Elemento, da diretora Tetê Caetano. Atualmente, Fabiana Gobo realiza, em seu consultório, em Goiânia, um trabalho personalizado de saúde vocal, resistência vocal e treinamento de mídia, contando com um sofisticado laboratório, com vários softwares, para análise da voz.

Fonte: Agepel